comments powered by Disqus
Amazônia / História

Um passeio pelas praças e monumentos históricos de Manaus

Entre os monumentos e praças na cidade, cinco tem um destaque especial e são mostradas no trabalho da pesquisadora Maria Evany Nascimento.

sábado 26 de outubro de 2013 - 10:20 AM

Tese de mestrado destaca o centro histórico de Manaus através de suas praças e monumentos. Foto: Marcos Paulo Silva

Manaus - O centro histórico de Manaus é rico em seus detalhes e grandes obras  podem ser vistas num simples caminhar pelas ruas da cidade. E foi pensando em resgatar a história para seus habitantes e mostrar toda sua beleza para os visitantes que a pesquisadora da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM), Maria Evany Nascimento, transformou sua tese de mestrado em um livro, que mostra o centro histórico de Manaus através de suas praças e monumentos que se misturam com a atual arquitetura, mas que trazem em suas características um pouco da história da cidade.

Entre os monumentos e praças na cidade, cinco tem um destaque especial e são mostradas no trabalho da pesquisadora.

Localizada na Avenida Sete de Setembro, a praça Dom Pedro II é uma das mais antigas de Manaus. Ela contém duas das principais obras da cidade, um coreto de ferro e uma fonte decorativa com quatro musas, ambos trazidos da Inglaterra nos anos de 1882 e1893. Afonte de ferro foi inaugurada em Janeiro de 1894 durante a administração de Eduardo Ribeiro, que fazia u,m projeto de embelezamento da cidade, e tem como destaque as figuras feminina de quatro musas, que se diferenciam pelos objetos que carregam. O coreto de ferro é a obra mais antiga da cidade. Ele chegou em 1882 mas só foi fixado na praça em 1887, onde recebeu o nome de ‘Chalet de Ferro’.

Considerada a mais importante na cidade por conta de seu aspecto visual, a praça São Sebastião é um dos grandes símbolos da economia da borrachaem Manaus. Inauguradaem 1867, é considerada um dos patrimônios históricos mais valiosos da cidade, juntamente com o monumento de ‘Abertura dos Portos do Amazonas ao Comercio Mundial’ que encontrasse bem no meio da praça. O monumento, que é todo em bronze com placas em mármore, veio trazido da Itália em 1900, no período áureo da borracha. Podemos destacar no entorno da praça, a igreja de São Sebastião, galerias de artes, bares e cafés, além do imponente Teatro Amazonas e, ao fundo, o museu Palácio da Justiça.

Eternizada como Praça da Saudade na memória coletiva das pessoas, por conta de um cemitério que existia onde hoje se encontra a sede do Atlético Rio Negro Clube, a Praça 5 de setembro é uma das mais famosas da cidade. E ela só passou a ser  chamada de 5 de Setembro em 1932, quando recebeu o monumento de Tenreiro Aranha, em comemoração à elevação do Amazonas à categoria de província, homenageando o primeiro presidente da província, João Batista de Figueiredo Tenreiro Aranha. Assim como outras obras, essas também veio da Itália, no ano de 1907, mas só foi colocado na praça 1932.

Conhecida como Praça da Policia,  o espaço localizado na Sete de Setembro já foi chamada de praça 28 de Setembro, Largo do Palacete, praça da Constituição, praça Gonçalves Ledo, praça João Pessoa, Largo do Liceu, praça Roosevelt e hoje tem o nome oficial de praça Heliodoro Balbi. Construída toda no estilo inglês, a praça é a mais arborizada da cidade, e conta também com um coreto de ferro datado da primeira década do século 20, uma pérgula, uma pequena fonte e um grande número de esculturas espalhada por toda ela. Nas imediações da praça, há ainda outros espaços tradicionais, como o Colégio Amazonense Dom Pedro II e o Palacete Provincial.

Situada na Parte principal da cidade, a Praça da Matriz está voltada para o Rio Negro, em frente ao porto de Manaus, um dos portões de entrada da capital. Com jardins distribuídos por todos os lados, encontra-se ao centro da praça a Catedral Nossa Senhora da Conceição, construída em 1786. No local há, também, uma fonte decorativa que é a maior da cidade, ricaem detalhes. Afonte foi fabricada por escoceses e instalada em 1898, na administração de Eduardo Ribeiro. Os azulejos pintados que retratam a via sacra dão um charme a mais no lugar. Eles vieram de São Paulo e foram fixados na construção do Centro Pastoral, datada de 1993.

A praça também conta com algumas obras de personalidades políticas, como o busto do ex-presidente Floriano Peixoto, instalado em 1996. E ao lado da praça há também o mais antigo relógio público da cidade, o “Relógio Municipal”, encomendado de uma relojoaria suíça em 1930, na administração do intendente José Francisco Araújo de Lima.

Confira mais sobre as obras na videorreportagem.

VEJA TAMBÉM NO D24am