comments powered by Disqus
Amazônia / Meio Ambiente

Mais de 100 animais já foram doados em feiras em Manaus

ONGs resgatam cachorros e gatos das ruas e realiza os eventos para procurar donos para os bichinhos

quarta-feira 14 de março de 2012 - 6:10 PM

Em Manaus, feiras de adoção de cães e gatos são realizadas mensalmente por organizações não governamentais que se dedicam a cuidar dos animais. Foto: Arquivo/Diário do Amazonas

Manaus - Adotar animais abandonados já virou mania entre alguns amazonenses apaixonados por bichos. Em Manaus, feiras de adoção de cães e gatos são realizadas mensalmente por organizações não governamentais que se dedicam a cuidar dos animais. Apenas nos meses de fevereiro e março, 108 animais foram adotados.

Além de oferecer um lar aos 'bichinhos' que são resgatados das ruas da cidade, a ONG Proteção, Adoção e Tratamento Animal (P.A.T.A), também realiza palestras em escolas, e nas próprias feiras de adoção realizadas pela organização. Os voluntários ajudam e instruem os donos dos animais a realizarem a castração.

Com pouco mais de um ano de existência, o P.A.T.A Manaus já conta com 250 voluntários de diversas áreas profissionais. São advogados, biólogos, universitários, e até crianças que se unem voluntariamente em favor dos animais. De acordo com a diretora da organização, Joana Darc, o P.A.T.A surgiu quando vários amigos que já resgatavam animais abandonados resolveram se unir e formar um grupo, que em menos de dois meses, transformou-se em uma ONG.

"Promovemos eventos para arrecadar dinheiro para pagar os tratamentos dos animais, vacinas e realizar as feirinhas de adoção. Os próprios voluntários fazem cotinha e mantêm a organização", explicou Joana, que ressaltou ainda que cerca de 20 à 25 animais são adotados mensalmente.

Quem pode adotar

Com a ajuda das redes sociais, o grupo está conseguindo cada vez mais conscientizar as pessoas a castrarem os seus bichinhos. Panfletos também são distribuídos nas ações realizadas pelo P.A.T.A. Joana explicou ainda, que para adotar um dos animais é preciso que uma triagem seja feita com o candidato, a fim de saber se aquela pessoa está apta a ter um animal de estimação. "Nós analisamos e vemos se a pessoa tem condições, pois cada animal tem um perfil diferente. Existem cães que precisam de mais atenção que outros, e isso nós vemos quando resgatamos e os abrigamos em nossas casas, pois não temos um abrigo especialmente para estes animais abandonados", explicou.

Outra ONG voltada aos cuidados animais é a ComPaixão Animal que também existe há cerca de um ano. Com 160 voluntários, a ComPaixão Animal é responsável também por denunciar maus tratos e violência contra os animais, além de resgatá-los da rua, castrá-los e vermifugá-los. Apenas quando o animal fica 100% saudável é que são levados para adoção. Em cada feirinha de adoção realizada pelo grupo aproximadamente 30 cães encontram um lar.

Porém, de acordo com a tesoureira da ONG, Carla Manarte, apesar dos cuidados e divulgação, o número de animais abandonados ainda é grande na cidade de Manaus. "As campanhas e feiras tem chamado a atenção da população, mas ainda é muito grande o número de abandono de animais", disse Carla.

Confira algumas páginas no facebook para adoção de animais:

Organização Bicho Amado (OBA): www.facebook.com/pages/OBA-Organização-Bicho-Amado/132422980193124

Adoção de gatos e cachorros em Manaus: 

www.facebook.com/adocaogatocachorromanaus

Ong ComPaixão Animal: 

www.facebook.com/profile.php?id=100002426951679

P.A.T.A Manaus: 

www.facebook.com/pages/PATA-PROTEÇÃO-ADOÇÃO-E-TRATAMENTO-ANIMAL/201789883227697

Casos de amor e solidariedade

"É um caso de amor muito grande, sou completamente apaixonada por meus filhos". Foi assim que a designer Rafaela Valério, 32, definiu seu carinho pelos dois gatos adotados por ela. Raul, que vai fazer 2 anos, e Emannuel, de 1 ano, são seus dois companheiros inseparáveis.

Ela contou que não precisou ir à feira de adoção para encontrar os bichanos, eles "apareceram" na vida dela. "Encontrei o Raul na garagem do meu vizinho, ouvi miados, e quando fui ver, ele estava lá, bem pequenininho e precisando de um lar. Já o Emannuel foi abandonado em frente à minha casa. Não resisti e também o peguei pra mim", disse ela.

Para Rafaela, os animais são sinônimos de felicidade. "Eles fazem mais bem pra mim, do que eu pra eles, pois são minha vida! Se eu pudesse pegaria muitos outros, mas não disponho de tempo suficiente para criar mais gatinhos", explicou a designer, que ressaltou que nunca precisou comprar animais, todos que ela já criou foram resgatados da rua. 

A universitária Manoela Farias, 24, também é apaixonada por animais e cria em sua casa três gatos e quatro cães. "Dois cães eu adotei em uma feirinha de doação no ano passado, os outros dois peguei na rua, assim como encontrei os gatinhos. Acho essencial fazer o bem a esses animais, pois isso me faz bem também", disse Manoela. 

Quem fica com o coração na mão todas as vezes que encontra um animal abandonado é a publicitária Luana Raposo que já cria cinco gatos em sua casa, além de ser voluntária da ONG P.A.TA. "Eu acho os gatos na rua, e trago para mim. Ontem mesmo resgatei um e consegui um lar temporário para ele. Outra forma de ajudar é na divulgação das feirinhas de adoção, ajudo todas as ONGs, e isso é gratificante", contou Luana.

Centro de Controle de Zoonoses de Manaus 

O centro de Controle de Zoonoses de Manaus (CCZ), localizado na avenida Brasil, Compensa I, Zona Oeste, realizou no mês de janeiro 40 adoções de cães, em fevereiro 23, e neste mês de março, 54 cães encontraram um lar. O motivo de tanta adoção foi uma feira realizada no ultimo sábado, dia 10, onde o CCZ fez parceria com as ONGs de Manaus.

De acordo com o diretor técnico administrativo do CCZ, Jansen Ascenção, os animais resgatados nas ruas passam três dias no centro de zoonoses, e, caso não sejam adotados, os cães são sacrificados. Já animais que são levados ao CCZ por seus donos, ficam cerca de 30 dias no local. "O cão passa pelo controle do veterinário e se estiver passivo para adoção nós ficamos com ele até um mês" explicou Jansen. 

Segundo ele, os cães de rua tem maior dificuldade para serem adotados, por conta de já chegarem no CCZ doentes. Já os filhotes ou os que são deixados pelos donos, têm maiores chances de adoção.

Para castrar o cão, ou vacinar, é preciso agendar uma consulta no próprio centro de zoonoses de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, ou ligar no telefone (92) 3625-2655.

VEJA TAMBÉM NO D24am