comments powered by Disqus
Esportes / Fórmula 1

Felipe Massa é convidado pela Williams a se desaposentar da F-1 

Williams aceitou liberar o piloto Valteri Bottas para a Mercedes, desde que o brasileiro aceite voltar a pilotar pela escuderia, em 2017

sábado 17 de dezembro de 2016 - 8:00 AM

Com informações de agências / portal@d24am.com

Felipe Massa foi homenageado em ‘última corrida’ no Brasil. Foto: Divulgação/F1

São PauloApós anunciar aposentadoria, no início de setembro, Felipe Massa pode estar retornando à Fórmula 1. Ao menos é o que afirma o jornal francês L’Équipe. De acordo com a publicação, o brasileiro está negociando com a Williams para preencher uma possível saída de Valtteri Bottas, que, por sua vez, está prestes a assinar com a Mercedes para ocupar a vaga do aposentado campeão Nico Rosberg.

Segundo o jornal, tanto a negociação de Massa, quanto a de Bottas estão avançadas, e é uma questão de dias para que as mudanças sejam anunciadas. O retorno do piloto é para satisfazer a Williams, já que a escuderia busca alguém com experiência para guiar em 2017, ano que os carros sofrerão grande mudança na aerodinâmica.

Enquanto não acerta a volta de Massa, a Williams conta somente com o novato Lance Stroll, de apenas 18 anos e que saiu da F-3 direto para a F-1. 

Sócia da equipe, Claire Williams, inclusive, já fez o convite ao brasileiro. “Só permitiremos a saída de Valtteri (Bottas, para a Mercedes) se uma alternativa experiente e com credibilidade estiver disponível, alguém como Felipe Massa, por exemplo”, disse, em entrevista à BBC. 

O próximo campeonato começará no dia 26 de março em Melbourne, na Austrália, com mudanças no regulamento. Carros e pneus ficarão mais largos e cerca de cinco segundos mais rápidos.

A questão financeira também pode ser considerada um atrativo a Felipe Massa. Isso porque o salário que seria pago a Bottas, cerca de 6 milhões de euros (R$ 22 milhões), mais bônus, devem ser repassados, integralmente ao brasileiro.

A Williams também economizará com o provável não pagamento pelos motores que usa, da Mercedes. Isso porque a liberação de Bottas para a rival tem como contrapartida não pagar pelos motores, que representam um custo anual de de 16 milhões de euros (R$ 60 milhões), atualmente.

Ou seja, o poder de investimento da escuderia será, em 2017, maior do que nas duas últimas temporadas. Além disso, o piloto Lance Stroll levará para a equipe um patrocínio de 24 milhões de euros (R$ 91 milhões). 

Tecnicamente, Massa terá a equipe inteira a seu dispor para desenvolver o carro com base no novo regulamento, dada a inexperiência do companheiro de equipe. Ele ainda não respondeu ao convite e está a caminho do Brasil, para férias, conforme postagem em rede social, nesta sexta-feira.

VEJA TAMBÉM NO D24am