comments powered by Disqus
Esportes / Lutas

Lutadores do Amazonas têm os próprios desafios no UFC, em 2017

Atletas projetam ano de conquistas e afirmação no UFC, neste ano

domingo 12 de fevereiro de 2017 - 8:15 AM

Diogo Rocha / portal@d24am.com

Adriano Martins, Ketlen Vieira e José Aldo são os principais lutadores do Estado no UFC. Foto: Divulgação/UFC

Manaus - A safra de lutadores de MMA do Amazonas no UFC está em evolução, em 2017. Os representantes do Estado já se preparam para a nova temporada, que será marcada por lutas pelo ranking, por regresso ao octógono após período em recuperação médica e disputa pelo cinturão único.

Novamente campeão linear dos penas no UFC, após o multicampeão Conor McGregor abrir mão do título para competir nos leves, em novembro do ano passado, José Aldo ‘Scarface’ Júnior, de 30 anos, lutará no Rio de Janeiro, no dia 3 de junho, contra o havaiano Max Holloway, que está recuperado de lesão.

Aldo continua sendo o maior nome do Amazonas no UFC, onde não compete desde julho do ano passado, na edição 200, quando conquistou o cinturão interino do peso-pena, com a vitória sobre Frankie Edgar, por decisão unânime.

Outra amazonense na franquia é a jovem Ketlen Vieira, de 25 anos. Depois de estrear no UFC com vitória, por decisão dividida, sobre a norte-americana Kelly Faszholz, no dia 1º de outubro do ano passado, pelo peso-galo, Ketlen espera começar a escalada no ranking da categoria. No dia 15 de abril, a manauara irá encarar outra ‘gringa’, Ashlee Evans-Smith, de 29 anos, atualmente a 12ª colocada entre as lutadoras dos galos.

Invicta no MMA, com um card de sete vitórias em sete lutas profissionais, Ketlen está confiante para o segundo desafio pela franquia. O próximo confronto será em Kansas City, nos Estados Unidos.

“Estou confiante e treinando muito para essa luta. Tenho certeza que vou estar muito bem preparada, a adversária é experiente e será a quarta luta dela pelo UFC (nas duas últimas saiu vitoriosa). Mas a estratégia está sendo montada e, se Deus quiser, vou conseguir impor meu jogo”, afirmou a amazonense.

Para elevar o nível técnico e físico da preparação, Ketlen Vieira está em treinamento na matriz da academia Nova União, no Rio de Janeiro, do prestigiado Dedé Pederneiras, técnico do conterrâneo dela, José Aldo.

 

Em busca de reação

Em 2017, o amazonense Adriano Martins, de 34 anos, completará o quinto ano consecutivo no UFC, pelo peso-leve. Da estreia, com vitória para o norte-americano Daron Cruickshank, no dia 9 de novembro de 2013, até hoje, ele acumula mais três triunfos e duas derrotas. No ano passado, Martins precisou lidar com as lesões.

“Fiz uma artroscopia (em dezembro), no mesmo joelho que tinha operado, porque tive uma cicatrização ruim. Continuo na fisioterapia, e, na semana passada, comecei a treinar, mas nada de forma dura. A recuperação tem sido boa e logo estarei treinando forte”.

Após a última derrota, por decisão dividida dos juízes, sofrida para o brasileiro Leonardo Santos, no dia 8 de outubro de 2016, Adriano Martins passou por uma nova cirurgia no joelho direito. O lutador está em recuperação, desde 8 de dezembro, mas o regresso para o octógono do UFC está previsto para maio, com adversário ainda indefinido.

“Já foi pedida a luta no UFC e, se Deus quiser, em maio, estarei de volta. É bola para frente e começar o ano com uma luta boa, acho que esse é o objetivo e tirar um pouco esse negócio de lesão. Desde o ano passado, isso me incomoda bastante”, disse.

Devido o período afastado do UFC, Adriano Martins tem sofrido, emocionalmente, com a espera. “O ano de 2016 fez eu repensar muitas coisas e amadurecer. Com as lesões e cirurgias, lutei pouco. Sempre fui um cara que lutei muito e que, em pouco espaço de tempo, voltava. Não consegui fazer isso no UFC. Outros lutadores conseguem”, lamentou.

 

Radicados em Manaus

O capixaba radicado em Manaus, Ronaldo ‘Jacaré’ Souza, de 37 anos, e o brasiliense Alan Patrick ‘Nuguette’, de 33, também representam o Amazonas no UFC. Na noite deste sábado (11), em Nova Iorque, ‘Jacaré’ chega à oitava luta na franquia, contra o norte-americano Tim Boetsch, pelos médios. No caso de Nuguette, nenhuma luta foi confirmada ainda para este ano.

Pego no doping, em maio do ano passado, o amazonense Carlos Diego Ferreira, 32, que tem cinco lutas pelo UFC, nos leves, com três vitórias e duas derrotas, pegou uma suspensão de 17 meses. Ele deve regressar ao octógono somente no final deste ano.

VEJA TAMBÉM NO D24am