comments powered by Disqus
Esportes / Lutas

Lutadora amazonense se prepara para o Shooto Brasil 70, aos 18 anos

Natural de Tefé, a atleta vai encarar a carioca Aline Nery na edição 70 do Shooto Brasil, que acontece no Rio de Janeiro (RJ), no dia 26 deste mês

domingo 5 de março de 2017 - 10:30 AM

Thiago Fernando / portal@d24am.com

Joice Mara disse que prefere vencer todos os rounds a nocautear as adversárias, para proporcionar show ao público. Foto: Michael Dantas/Divulgação Sejel

Manaus - Após fazer cinco lutas, em Manaus, a amazonense Joice Mara, 18, estreará em um evento nacional, em 20 dias. Natural de Tefé (a 523 quilômetros a oeste de Manaus), a atleta da JMT/CT Manaus Fight (Manoa) vai encarar a carioca Aline Nery, da equipe Renovação Fight Team (RFT), na edição 70 do Shooto Brasil, que acontece no Rio de Janeiro (RJ), no dia 26 deste mês.

Apesar de jovem, Joice surge com grande potencial. Sua entrada no mundo da luta foi aos 11 anos, quando começou a praticar kickboxing. Logo depois, migrou para o muay-thai, através do treinador Jefferson Palma.

“Comecei com 11 anos, no kickboxing e, depois, migrei para o muay-thai, quando passei a treinar com o Jefferson. Tenho 14 lutas de ‘K1’. Aos 17 anos, estreei no MMA. Fiz cinco lutas, sendo quatro vitórias e uma derrota. Ganhei um cinturão e, agora, estou indo para o Shooto”, disse a atleta, que mostra confiança ao comentar o duelo no Shooto e a única derrota na carreira.

 

Joice entrou no mundo da luta foi aos 11 anos, quando começou a praticar kickboxing. Foto: Emanuel Mendes Siqueira/Divulgação

 

“Estou bem tranquila. Estou me sentindo preparada. Acredito no meu potencial e no trabalho que o Jefferson Palma faz comigo. Estou bem confiante. Minha única derrota foi muito questionada. Acho que, naquela noite, ganhei muito mais do que a adversária. Muita gente não concordou com o resultado. Foi lá que ganhei minha chance no ‘Rei da Selva’. A partir daí, comecei a ter mais visibilidade e muitas portas se abriram para mim. Antes de entrar, falei que o importante era fazer uma boa exibição e sair feliz de lá”, citou Joice.

 

Rumo ao RJ

A lutadora embarcará para o Rio de Janeiro no dia 18, onde fará o resto da preparação, na academia Nova União, junto com o técnico Dedé Pederneiras. Questionado sobre a tática para o combate contra Aline, Joice afirmou que não tem muitas informações, apenas as que conseguiu ao pesquisar no site sherdog.com.

“Pelo o que ‘puxamos’ no Sherdog, ela é de uma academia de luta-livre, mas não gosta de levar a luta para o chão. Ela prefere ‘trocar’. Como a minha área é a trocação, acho que faremos uma ótima luta. Gosto muito de ir até o final da luta e proporcionar um show. Gosto de dar para ao público o que ele foi lá ver. Gosto de levar todos os rounds. Quero proporcionar isso”, disse a lutadora, que sonha chegar ao UFC.

“Meu sonho é o mesmo de qualquer outro atleta, e chegar ao UFC e me tornar campeã do cinturão até 52 kg (peso-palha). Busco não me comparar com ninguém. Acho melhor buscar ser a pessoa a quem as outras vão se comparar. Meus ídolos são o Anderson Silva e o Jose Aldo. Não vejo muitas lutas femininas”, afirmou Joice, que acha positivo o fato de ter lutado cinco vezes em menos de cinco meses.
“Acho que é um ponto positivo, porque conta como experiência. Na minha primeira luta de MMA, entrei muito tranquila, devido à minha experiência no ‘K1’. Já não tive aquela dificuldade. Para mim, é normal lutar”, finalizou.

 

VEJA TAMBÉM NO D24am