comments powered by Disqus
Esportes / Lutas

Muay thai integra jovens, mas carece de materiais e apoio

Projeto social está à disposição das crianças e adolescentes no Centro Espírita Tomás de Aquino, no bairro Nossa Senhora das Graças

domingo 2 de abril de 2017 - 9:45 AM

Thiago Fernando / portal@d24am.com

Treinos acontecem em local cedido, mas que ainda não tem tatame, manopla, capacete e caneleiras. Encontros são às segundas, quintas e sábados. Foto: Reinaldo Okita

Manaus - Disciplina, coragem, autoconfiança, força, flexibilidade, coordenação motora, agilidade mental e ganho na musculatura magra, esses são alguns dos benefícios do muay thai. A luta de origem tailandesa está à disposição das crianças e adolescentes no Centro Espírita Tomás de Aquino, na Rua Pico das Águas, no bairro Nossa Senhora das Graças, mas conhecido como Beco do Macedo, na zona centro-sul de Manaus.

No local, desde dezembro do ano passado, o projeto social ‘Lutar para vencer’, encabeçado pelo mestre Didimo Neto, 42, reúne os jovens, três vezes por semana (segunda às 17h, quinta às 18h30 e sábado às 14h). 

Com mais de 13 anos de experiência como professor, Didimo explicou que a ideia de criar o projeto no local surgiu após a primeira ação social, no município de Manaquiri (a 60 quilômetros a sudoeste de Manaus), ser encerrada.

“O projeto já funcionou na cidade de Manaquiri, mas quem tocava era uma aluna minha. Ela mudou da cidade e não teve como continuar. Viemos para cá, em dezembro. Faltava um lugar. Aqui é uma área boa, tem muitas crianças e temos esse espaço, no centro. Podemos conduzir treino”, disse o professor, que começou a praticar a modalidade após assistir filmes do ator belga Jean-Claude Van Damme.

Atualmente, o projeto tem mais de 40 crianças cadastradas. Porém, enfrenta uma dificuldade: a falta de materiais adequados para a pratica.

“Estamos correndo atrás de material. É um esporte que precisa de tatame, manopla, capacete e caneleiras. Atendemos jovens até os 21 anos. Até o momento, temos 40 crianças cadastradas. O projeto funciona no Beco do Macedo, mas é aberto para qualquer criança de Manaus”, citou o mestre, que vê o esporte como uma forma de conduzir a nova geração ao caminho do bem. “Isso, para mim, é uma realização pessoal. Não ganho nada com isso. É totalmente filantrópica. Fico feliz com esse reconhecimento. O muay thai é minha paixão. Quando vejo as crianças envolvidas, isso me dá satisfação enorme. Podemos estar conduzindo essa geração para o caminho do bem e garimpar o futuro campeão mundial”.

Entre os praticantes, desde o início, está Cristiano Brasil, de 9 anos. Praticante de jiu-jítsu e apaixonada pelo mundo das lutas, a mãe, a dona de casa Alessandra Brasil, de 37 anos, revelou que o filho realizou um sonho ao entrar no projeto.

“Ele esta desde o começo do projeto e gosta muito. Ele já fazia luta, treina jiu-jítsu. Quando fiquei sabendo, ele logo se animou, porque era o sonho. Ele deu uma engordada, depois que começou a praticar, porque ganhou massa muscular. Além disso, melhorou a disciplina. Ele cobra para vir. Ele pede para vir para muay thai”, citou Alessandra.

Quem quiser ajudar o projeto pode buscar a assistente social Graciete Alves, através do telefone (92) 3304-7986. 

VEJA TAMBÉM NO D24am