comments powered by Disqus
Esportes / Rio 2016

Cerimônia de abertura dos Jogos Paralímpicos Rio-2016 começa com protestos contra Temer

A cerimônia de abertura tem como tema "Cada corpo tem um coração" e "acentua a condição humana, os sentimentos, as dificuldades, a solidariedade e o amor".

quarta-feira 7 de setembro de 2016 - 6:30 PM

AFP / portal@d24am.com

A 15ª edição dos Jogos Paralímpicos reunirá até 18 de setembro mais de 4300 atletas de 159 países. Foto: Fábio Motta/Estadão

Rio de Janeiro - Os Jogos Paralímpicos Rio-2016, os primeiros da América do Sul, começaram nesta quarta-feira (07) com a cerimônia de abertura, embalada por muito samba e protestos. O início da cerimônia eletrizou o público no estádio do Maracanã, com a manobra de alta velocidade do cadeirante Aaron Wheelz.

Aaron desceu com uma cadeira de rodas uma megarrampa no meio da arquibancada do estádio e caiu sobre uma superfície inflável após uma pirueta por dentro do círculo que simbolizava o zero na contagem regressiva. Uma queima de fogos acompanhou o número.

O número foi feito logo depois da chegada do presidente do Comitê Paralímpico Internacional, sir Philip Craven, que surgiu no meio do público e depois foi para a tribuna de autoridades, onde se sentou ao lado do presidente Michel Temer. Minutos antes do início da cerimônia, parte do público gritou "Fora Temer" no estádio e também foram ouvidas vaias.

Aaron Wheelz desceu com uma cadeira de rodas uma megarampa no meio da arquibancada do estádio. Foto: Reuters/Ricardo Moraes

 

Também antes da cerimônia começar, o encontro dos mascotes olímpico e paralímpico, Vinicius e Tom, chamou a atenção do público. Tom dançava vários ritmos com a apresentadora Fernanda Lima e o escritor Marcelo Rubens Paiva. Quando foi a vez da Bossa Nova, tocou Garota de Ipanema, Vinicius entrou desfilando com um vestido brilhante, em uma referência à participação da modelo Gisele Bündchen na abertura da olimpíada. A top model encarnou a icônica homenageada por Tom Jobim e recebeu elogios.  

Em um estádio do Maracanã lotado, milhares de pessoas gritaram "Fora Temer" contra o presidente Michel Temer, que assumiu o poder após Dilma Rousseff ter o mandato cassado no Senado, na semana passada. Temer, que já havia sido vaiado na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, em 5 de agosto, deverá proclamar os Jogos Paralímpicos abertos ao fim da grande festa.

A 15ª edição dos Jogos Paralímpicos, maior evento do mundo com participação de atletas com deficiências físicas, reunirá até 18 de setembro mais de 4300 atletas de 159 países que competirão para conquistar uma das 528 medalhas de ouro em disputa.
 
Cerca de 500 coreógrafos e artistas, alguns deficientes físicos,e 2000 voluntários participam da festa. Foto: Reprodução/Twitter
 
O pontapé inicial dos Jogos aconteceu com a ausência significativa do presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), o alemão Thomas Bach, que participou nesta quarta-feira do velório do ex-presidente alemão Walter Scheel, falecido em Berlim aos 97 anos.
 
É a primeira vez desde 1984 que um presidente do COI não participa da cerimônia de abertura dos Jogos Paralímpicos e, "por enquanto, não está previsto que o presidente (Bach) vá ao Brasil", anunciou o COI em comunicado.
 
Concebida pela designer gráfico Fred Gelli, o escritor Marcelo Rubens Paiva e o artista plástico Vik Muniz, a cerimônia de abertura tem como tema "Cada corpo tem um coração" e "acentua a condição humana, os sentimentos, as dificuldades, a solidariedade e o amor", segundo a organização.
 
Cerca de 500 coreógrafos e artistas, alguns deficientes físicos,e 2000 voluntários participam da festa.
 

VEJA TAMBÉM NO D24am