comments powered by Disqus
Notícias / Amazonas

Manaus terá centro municipal de atendimento a dependentes químicos

Prédio no bairro São Francisco está sendo adquirido pela Prefeitura para a implantação do Caps

sábado 2 de novembro de 2013 - 7:30 AM

O Centro de Manaus já apresenta diversos pontos de cracolândia, como o prédio da Santa Casa de Misericórdia Foto: Reinaldo Okita

ManausA Prefeitura de Manaus planeja inaugurar o primeiro Centro de Atenção Psicossocial (Caps) para tratamento de dependentes em álcool e outras drogas no primeiro semestre de 2014. A casa vai atender até 80 pessoas por dia, com terapeutas especializados e atividades de reabilitação individualizadas.

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) publicou a dispensa de licitação para aluguel do prédio onde o centro vai funcionar no Diário Oficial do Município (DOM), do último dia 28. A casa fica na Rua Franco de Sá, 52, bairro São Francisco, zona sul. A gerente da Rede de Atenção Psicossocial, Efthimia Haidos, explicou que o prédio será reformado para atender às necessidades de um ambiente terapêutico.

Segundo a gerente, o Centro vai atender até 40 recuperandos por turno (manhã e noite), e não deve funcionar à noite. Haverá tratamento intensivo, semi-intensivo e não intensivo. Cada dependente receberá tratamento individual, com um terapeuta responsável pelo acompanhamento do caso. As famílias e usuário que quiserem o tratamento poderão fazer a primeira consulta diretamente no Caps. “Estaremos de portas abertas, não será preciso encaminhamento de outras instituições”, disse.

O novo Centro deve funcionar nos parâmetros do Caps AD2, determinado pelo Ministério da Saúde. A casa terá um médico psiquiatra, um enfermeiro com formação em saúde mental, um psicólogo, um assistente social, um terapeuta ocupacional, um pedagogo, um professor de educação física e mais um profissional necessário ao projeto terapêutico, além de seis técnicos em enfermagem, técnico administrativo, técnico educacional e artesão.

A Semsa deve convocar os aprovados no cadastro de reserva do último concurso para compor o quadro de servidores do Centro. Efthimia informou que os profissionais vão receber capacitação especial em reabilitação e atendimento Psicossocial.

Para a gerente, ainda não há como prever se haverá maior demanda de tratamento contra o álcool, cocaína, crack ou outras drogas. “Este é o primeiro centro da capital, e teremos a obrigação de ser referência. Estaremos preparados para atender bem todos que buscarem ajuda”, disse.

Dependência

A Secretaria de Estado da Assistência Social e Cidadania (Seas) atendeu 1,4 mil dependentes químicos no ano passado. O chefe do Departamento de Proteção Social Especial (DPSE), Ítalo Bruno Lima Nonato, destaca que este não reflete o total de usuários de drogas na cidade, e sim o número de famílias que buscaram ajuda na secretária.

A procura por tratamento para dependentes em crack aumentou em Manaus em 2013. Em 2011, a Seas recebeu 24 pedidos de internação para dependentes da droga. Em 2012 foram apenas 15 solicitações. Já nos seis primeiros meses deste ano, o número de famílias pedindo ajuda saltou para 39.

Dados da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas apontam que o crack é usado por 35% dos consumidores de drogas ilícitas nas capitais do País.

VEJA TAMBÉM NO D24am