comments powered by Disqus
Notícias / Brasil

Banco é condenado a pagar R$ 800 milhões por ter demitido em represália familiar

Segundo o MPT, a empresa demitiu dois irmãos no mesmo dia, em represália pelo pai deles, um ex-gerente do banco, que entrou com uma reclamação trabalhista contra o Bradesco

sábado 4 de março de 2017 - 3:30 PM

Da Redação / portal@d24am.com

As demissões, segundo a decisão judicial, violaram o direito fundamental de um cidadão ter livre acesso ao Judiciário. Foto: Eraldo Lopes

Rio Grande do Sul - O Bradesco foi condenado pela Justiça do Trabalho do Rio Grande do Sul a pagar uma indenização de R$ 800 milhões ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) por dispensa discriminatória e sonegação de valores a empregados.

De acordo com o Ministério Público do Trabalho (MPT), autor da ação civil pública que originou a condenação, a empresa demitiu dois irmãos que trabalhavam em diferentes agências do banco, no mesmo dia, em represália pelo pai deles, um ex-gerente do banco, ter entrado com uma reclamação trabalhista contra o Bradesco. As demissões, segundo a decisão judicial, violaram o direito fundamental de um cidadão ter livre acesso ao Judiciário.

Além da indenização, o procurador do Trabalho Ivo Eugênio Marques também solicitou à Justiça que ordenasse ao banco para não repetir tal comportamento com outros empregados, em território nacional.

O pedido de indenização original consistia em 10% do lucro líquido do Bradesco nos últimos cinco anos, mas a Justiça concedeu o montante que equivale a 1% do  lucro líquido reajustado entre 2008 e 2012. As custas do processo, com base no valor da condenação são de R$ 16 milhões, também a cargo do réu. À decisão, cabe recurso.

VEJA TAMBÉM NO D24am