comments powered by Disqus
Notícias / Claro & Escuro

Melo tenta sair da agenda negativa com obras antigas

Confira as notas da Coluna Claro & Escuro desta terça-feira, 18 de abril, do DIÁRIO DO AMAZONAS

terça-feira 18 de abril de 2017 - 7:15 AM

Da Redação / portal@d24am.com

Manaus - O governador do Amazonas, José Melo (PROS), a despeito de tentar uma “agenda positiva”, em meio a vários casos de corrupção, requentou o anúncio de obras de governos passados. Em meio a denúncias como as da operação Maus Caminhos e a aplicação de R$ 25 milhões da Agência de Fomento do Estado (Afeam) numa empresa que, segundo a Polícia Federal, funcionava como banco paralelo de lavagem de dinheiro, no Rio de Janeiro, Melo anunciou, como novas as obras que estavam paradas de trechos da Avenida das Torres, iniciada   há anos, com recursos federais. Também anunciou trechos que estavam parados na Avenida das Flores e a obra, que estava parada e abandonada, da  duplicação da Estrada do Tarumã. E, claro, também foi anunciada como novidade a duplicação da Rodovia 070 (Manaus-Manacapuru). O próprio governador deixou transparecer que não havia obras novas, em seu discurso: “Algumas obras tiveram atrasos porque não havia dinheiro para as desapropriações”, disse.

 

Festa para secretário de educação deixa os servidores indignados


Foto: Reprodução

 

Servidores da Educação do Estado, sem reajuste salarial há anos, colocaram, ontem, nas redes sociais,  dezenas de imagens, em tom de indignação, com os gastos da festa de aniversário do secretário de Estado de Educação, Algemiro  Lima Filho, em pleno horário de expediente. Milhares  de copos com a fotografia dele, shows de cantores famosos de toadas e até a presença da BBB Vivian Amorim.  Queriam saber quem pagou a festa.

 

Propinas no Madeira 1

Oito inquéritos autorizados pelo STF para investigar políticos citados nas delações da Odebrecht estão ligados a propina em obras das usinas de Santo Antônio e Jira, em Rondônia.

 

Propinas no Madeira 2

Segundo os delatores, a empresa também pagou propina para garantir a aprovação de propostas, no Congresso, em matérias que gerariam impacto na atuação das hidrelétricas.

 

Debandando do PT 1

A senadora Ângela Portela (RR) decidiu sair do PT por considerar que o partido poderia prejudicá-la na tentativa de reeleição, em 2018.

 

Debandando do PT 2

Apesar de não ser alvo da operação Lava Jato, a senadora constatou, com pesquisa, que a sua aprovação caía ao ser relacionada ao PT.

 

Seleção suspensa

O conselheiro do Tribunal de Contas do Estado Julio Cabral suspendeu, liminarmente, o Processo Seletivo Simplificado do Edital nº 001/2017 da Prefeitura de Santo Antônio do Içá (AM).

 

Arthur reassume

O prefeito de Manaus, Arthur  Neto (PSDB) reassumiu o cargo, ontem, após tratamento de saúde,  e  fiscalizou as obras de recuperação de pontes danificadas pelas últimas fortes chuvas na cidade.

 

Mais de 4 mil processos

Este ano, até março, a 1ª, 2ª e 3ª Câmaras Cíveis e 1ª e 2ª Câmaras Criminais do Tribunal de Justiça do Amazonas julgaram 4.864 processos. Uma média de quase 500 por semana, considerando que  as sessões iniciaram em 23 de janeiro.

 

Dia do Índio

A Assembleia Legislativa do Amazonas terá  sessão especial em homenagem do Dia do Índio, nesta quarta-feira. Cerca de 1,5 mil indígenas estarão em Manaus  para uma conferência estadual.

 

Reforma no Norte

O impacto da reforma da Previdência na economia dos pequenos municípios das Regiões Norte e Nordeste é o tema da audiência pública da Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo da Câmara dos Deputados, hoje, às 14h.

 

Relator endurece regra de servidor público federal

Como uma forma de compensar os recuos do governo na reforma da Previdência, o relator da proposta, deputado Arthur Maia (PPS-BA),  acaba com a paridade (reajustes iguais para ativos e inativos) e integralidade (benefício integral) para quem ingressou no serviço público até 2003.

 

Contribuição sindical é herança fascista, diz relator

O deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), relator da reforma trabalhista, afirmou  que a contribuição sindical é uma herança fascista, pois faz parte dos pontos que falam do direito sindical da CLT inspirados nas normas do italiano Benito Mussolini.

 

VEJA TAMBÉM NO D24am