comments powered by Disqus
Notícias / Economia

Mercado de trabalho amazonense abre espaço para estagiários

No Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), o número de alunos encaminhados aos estágios ultrapassou em 7% a meta projetada inicialmente para o período.

sábado 26 de março de 2011 - 10:47 PM

Manaus - Quem procura por estágio está conseguindo entrar no mercado de trabalho com a ampliação das vagas impulsionada pelo aquecimento da economia. A oferta de oportunidades superou em até 150% as projeções feitas pelas instituições responsáveis pela colocação de estudantes nas empresas e órgãos.

Segundo a coordenadora do Instituto Euvaldo Lodi (IEL), Helena Sarkis, a projeção era de 1.890 cadastros de estudantes e 1.004 admissões para os dois primeiros meses de 2011. Mas a instituição vinculada realizou  4.826 cadastros e 1.618 admissões em janeiro e fevereiro. “Se continuarmos nesse ritmo vamos estourar todas as metas para esse ano”, comemorou Sarkis.

No Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), o número de alunos encaminhados aos estágios ultrapassou em 7% a meta projetada inicialmente para o período. Para a coordenadora Mara Rúbia, desde o ano passado as empresas passaram a compreender melhor a Lei do Estágio, que regulamenta as contratações em vigor desde setembro de 2008, e abriram mais oportunidades para os estudantes, principalmente, as empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM).

“Nosso resultado está com 315 bolsas acima do estabelecido para os primeiros três meses de 2011”, afirmou a coordenadora. O CIEE esperava atingir 4.500 mil bolsas para os três primeiros meses. Com os dados parciais até a última sexta-feira, a instituição ligada à Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam) registrou 4.815 alunos atendidos.

A coordenadora do IEL, Helena Sarkis, também concorda que as empresas ficaram inseguras a partir da Lei do Estágio, e que apenas esse ano elas buscaram contratar mais estagiários. A Lei do Estágio estabelece recesso remunerado aos estudantes, carga horária de no máximo seis horas e auxílio transporte obrigatório, entre outros parâmetros.

A coordenadora Helena Sarkis, também atribui o aumento da oferta de vagas ao programa Jovem Cidadão que selecionou principalmente estudantes de Educação Física para promover recreação nas escolas estaduais.

“Apesar do salto na oferta para estágios na área de Educação Física, os estudantes de Administração são os mais requisitados atualmente”, destacou.

De acordo com a coordenadora, em 2010, foram ofertadas 6.898 novas vagas de estágio. Deste total, 30% das vagas foram para o curso de administração, 27% educação física, serviço social 13%, direito 9%, ciências contábeis 8%, Pedagogia 5% e outros 8%.

“Uma novidade esse ano são as ofertas para alunos de design e arquitetura no ramo de decoração de interiores. Mas, é fundamental que esses alunos tenham conhecimento do programa Autocad”, acrescentou.

Arquitetura (4º ao 7º semestre), Biblioteconomia (a partir do 5º semestre), Engenharia da Produção (5º ao 8º semestre) e Elétrica (a partir do 5º semestre) são alguns dos cursos que a coordenadora considera de maior dificuldade para preencher as vagas.

No CIEE, os cursos que estão com vagas disponíveis atualmente são Biblioteconomia (4º ao 7º semestre), Engenharia mecatrônica (4º ao 8º semestre), Engenharia mecânica (5º ao 8º semestre) e técnico em mecânica e mecatrônica (a partir do 3º módulo).

Para cada vaga, o CIEE deve enviar quatro candidatos, no mínimo. As áreas técnicas mecânica e elétrica possuem muita demanda pelas empresas, mas poucos estudantes disponíveis. “Somente a Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica (Fucapi) e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (Ifam) oferecem esses cursos técnicos com 30 alunos por turma em média, o que não é o bastante para atender a demanda atual das empresas”, destacou Rúbia.

Um problema que a coordenadora esbarra frequentemente na hora de passar a vaga para o estudante é a preocupação da maioria deles com o valor da bolsa mais do que com o conhecimento que vão adquirir. “A bolsa do estágio não é um salário mas um auxílio para que o estudante possa unir o ensino teórico ao prático.

Os alunos que ficam escolhendo estágios pelo valor da bolsa muitas vezes terminam a faculdade sem a experiência que se espera dele”, alertou Rúbia.

Os estudantes interessados em se inscrever para estágio nas instituições devem acessar os sites para efetuar cadastro: www.ciee.org.br e www.iel-am.org.br

VEJA TAMBÉM NO D24am