comments powered by Disqus
Notícias / Economia

Preço da mão de obra nas oficinas chega a 40% do custo de uma revisão em Manaus

Desembolso médio nas autorizadas em Manaus é maior do que em São Paulo, segundo sindicato.

segunda-feira 17 de setembro de 2012 - 10:11 AM

O custo da mão de obra de um mecânico é determinado de acordo com a complexidade do problema. Foto: Nathalie Brasil

Manaus - O preço da mão de obra cobrada pelas oficinas autorizadas em Manaus tem uma variação de 19%, entre R$ 89 e R$ 106 a hora. Dependendo do serviço, como uma revisão de um veículo que rodou 30 mil quilômetros, o valor pago para o profissional pode representar até 40% do total do serviço. Em São Paulo, a média cobrada na capital é de R$ 88, conforme o Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios (Sindirepa).

De acordo com a tabela do Sindirepa, somente a mão de obra de uma troca do evaporador do condicionador de ar de um Corsa, que demora em torno de quatro horas e meia, pode custar cerca de R$ 420 nas oficinas locais. Já para trocar as válvulas de um Celta, o cliente precisaria desembolsar cerca de R$ 600 apenas pela mão de obra.

Segundo o diretor da Pedragon Veículos, Germano Morais, a divisão de serviços da empresa está com o preço da mão de obra defasado há dois anos. “Nós trabalhamos com o valor de R$ 100, a hora. Estamos sem reajuste, mas esse é o preço médio de mercado e o que muda é o tempo de cada serviço, que vai contabilizar o preço final para o cliente”, explicou.

A Pedragon trabalha com a montadora GM e utiliza uma tabela de preços de revisão levando em consideração a quilometragem e o modelo do veículo. Para uma revisão de 20 mil quilômetros rodados, a concessionária cobra entre R$ 356 e R$ 1.136, dependendo do modelo.

Na Solimões Veículos, a média do valor cobrado somente pela hora da mão de obra vai até R$ 106, variando conforme a quilometragem do automóvel. Uma revisão completa de um carro com 50 mil quilômetros rodados, por exemplo, custa R$ 950. Segundo o consultor técnico da concessionária, Hélio Júnior, a empresa atua com um Tempo Padrão de Reparo (TPR), então todos os serviços são previamente acertados com o cliente, informando a demora e sem a possibilidade de cobrar fora da tabela.

O diretor-geral da chinesa recém-chegada JAC Motors, Ramisés Leão, afirma que a concessionária possui uma das tarifas mais baratas do mercado e ressaltou que a garantia dos primeiros 2,5 mil quilômetros grátis faz com que o cliente não precise se preocupar com essa questão. “Construímos um carro preparado para o Brasil e isso é importante. Além disso, temos um centro de distribuição com 98% de cobertura”, salientou. A revisão de 50 mil quilômetros rodados na JAC Motors sai por R$ 249.

O presidente Sindirepa Nacional, Antonio Fiola, explica que vários fatores compõem a mão de obra cobrada pelas oficinas, como o próprio piso salarial da categoria e as despesas fixas da empresa (aluguel, luz, água, telefone). “Claro, que esse valor do custo de mão de obra é apenas uma média de mercado que serve como parâmetro, mas cada empresa pratica o seu valor de acordo com os seus custos operacionais, localização e público”, lembrou.

O presidente declarou ainda que não é apenas o tempo levado em conta no valor da mão de obra, mas a complexidade do serviço.

“O mecânico necessita de conhecimento para operar equipamentos e precisa se atualizar. A frota de veículos é muito heterogênea, o reparador não sabe qual modelo vai atender, por isso, precisa estar preparado para atender à demanda. Uma troca de correia do motor, por exemplo, pode ser mais simples em determinado modelo de veículo e, portanto, levar menos tempo do que em outro carro”, explicou.

Ele destacou, ainda, que não importa se o veículo é nacional ou importado, pois cada modelo tem as suas peculiaridades. “Veículos mais sofisticados, com tecnologia embarcada, exigem mais conhecimento técnico específico e apurado, porém, hoje em dia, todos os carros possuem recursos eletrônicos, fazendo com que os mecânicos recorram a informações técnicas, muitas vezes, indisponíveis pelas montadoras”, completou.

VEJA TAMBÉM NO D24am