comments powered by Disqus
Notícias / Economia

Preço da refeição tem queda em Manaus

O valor médio  de Manaus caiu de R$ 29,21, em 2015, para R$ 28,81, em 2016, segundo o estudo anual da Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador

segunda-feira 20 de março de 2017 - 8:00 AM

Da Redação / portal@d24am.com

A refeição mais barata  é o almoço comercial, o ‘prato feito’, que sai por R$ 24,33. Foto: Árlesson Sicsú/ Arquivo

Manaus - O preço médio da refeição fora de casa do trabalhador de Manaus caiu de R$ 29,21, em 2015, para R$ 28,81, em 2016, segundo pesquisa divulgada pela Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador (Assert). O valor está abaixo da média do gasto da Região Norte que aumentou de R$ 28,48 para R$ 29,31, no ano passado.

Com base no preço médio de R$ 28,81 em Manaus, um trabalhador, que na data da realização da pesquisa (novembro de 2016) recebia apenas um salário-mínimo nacional (R$ 880) e não tinha o benefício do voucher-refeição, desembolsou, aproximadamente 72% do salário para se alimentar fora de casa durante sua jornada de trabalho, considerando 22 dias úteis, de segunda a sexta-feira.

O almoço à la carte na capital amazonense é o mais caro e sai, em média, por R$ 68,61, mais que o dobro da média do self service que custa R$ 27,44. A refeição mais barata em Manaus é o almoço comercial, popularmente conhecido como ‘prato feito’, que sai por R$ 24,33.

A pesquisa levanta os preços de uma refeição completa que inclui prato, bebida, sobremesa e café.

A Região Norte foi a que apresentou o menor valor entre as regiões do País, abaixo da média nacional (R$ 32,94).

Segundo a diretora-presidente da Assert, Paula Cavagnari, a pesquisa é mais um serviço que a associação presta à sociedade e ao governo, pois além de apresentar o cenário dos preços das refeições fora do lar, o levantamento tem por objetivo verificar a percepção dos proprietários dos estabelecimentos comerciais em relação ao aumento da demanda por uma alimentação saudável.  “De acordo com o estudo, aproximadamente, cinco em cada dez responsáveis pelos estabelecimentos acreditam que os clientes estão mais preocupados com uma alimentação saudável, ou seja, com uma dieta equilibrada, com o consumo de verduras, legumes, grãos, proteínas, frutas e sucos naturais”, comenta.

A Assert realiza a pesquisa desde 2003. Em 2014, o estudo passou a ser conduzido pelo Instituto Datafolha. De 11 a 28 de novembro de 2016, o Datafolha visitou 4.574 estabelecimentos comerciais no Brasil que oferecem refeição no prato e em mesa, de segunda a sexta-feira, e aceitam voucher-refeição.

Nesta edição, participaram 51 cidades brasileiras, sendo 23 capitais, nas cinco regiões geográficas do País. As entrevistas resultaram no levantamento de 5.545 preços, aos quais foi aplicada uma média ponderada considerando os pesos na amostra do município e de cada sistema de refeição: comercial, autosserviço, executivo e à la carte.

VEJA TAMBÉM NO D24am