comments powered by Disqus
Notícias / Mundo

Artista Banksy abre hotel, em cidade palestina, para criticar muro de Israel

Banksy disse que sua hospedaria é dotada da pior vista de qualquer hotel do mundo: todos os quartos dão vista para a barreira que simboliza a opressão dos palestinos

sábado 4 de março de 2017 - 4:00 PM

Com informações de agências / portal@d24am.com

O hotel, que era uma olaria, foi convertido para se parecer com “um clube inglês de cavalheiros dos tempos coloniais”. Foto: Divulgação/Banksy

Sob uma torre de vigilância do Exército e diante do muro de concreto que Israel construiu em partes da Cisjordânia ocupada, o artista de rua Banksy abriu uma hospedaria na cidade palestina de Belém. Situado na reverenciada cidade-natal de Jesus, o hotel ‘Walled Off’ (‘Emparedado’) de três andares tem as paredes dos quartos e os corredores decorados com os grafites do artista misterioso – um deles mostra um soldado israelense e um jovem palestino mascarado em uma guerra de travesseiros, e a estátua de um chimpanzé carregador de malas está postada na entrada, com roupas caindo da mala que ele segura.

O hotel, que era uma olaria, foi convertido para se parecer com “um clube inglês de cavalheiros dos tempos coloniais”, informou um comunicado de Banksy, apontando para o papel histórico que o Reino Unido desempenhou no Oriente Médio. Mas a decoração foi apimentada por estátuas sufocando com gás lacrimogêneo, querubins dependurados do teto com os rostos cobertos por máscaras de gás e pinturas a óleo de coletes salva-vidas de refugiados encalhados na praia.

O estabelecimento foi montado em segredo ao longo dos últimos 14 meses – as autoridades militares israelenses da Cisjordânia não responderam de imediato ao serem indagadas se tiveram conhecimento da obra antecipadamente.

Banksy, cujo nome verdadeiro é desconhecido, disse que sua hospedaria é dotada da pior vista de qualquer hotel do mundo: todos os quartos dão vista para a barreira que simboliza a opressão dos palestinos. Israel começou a erguê-la, em 2002, no auge de um levante palestino durante o qual cidades do Estado judeu foram abaladas por ataques frequentes de homens-bomba palestinos.

Os palestinos o apelidaram de ‘muro do apartheid’ e o viram como uma tentativa israelense de ocupar territórios na Cisjordânia, que querem para um futuro Estado juntamente com Gaza e Jerusalém Oriental.

 

VEJA TAMBÉM NO D24am