comments powered by Disqus
Notícias / Política

Melo corta incentivos da tarifa de ônibus e dá incentivos milionários a empresários, diz Arthur

Em coletiva na tarde desta quinta-feira (16), o prefeito se pronunciou sobre o impasse no transporte coletivo

quinta-feira 16 de fevereiro de 2017 - 2:35 PM

Da Redação / portal@d24am.com

Arthur concedeu coletiva na tarde desta quinta-feira (16). Foto: Semcom

Matéria atualizada às 18h25

Manaus - O prefeito de Manaus, Arthur Neto (PSDB) denunciou nesta quinta-feira (16), em entrevista coletiva, o que chamou de um esquema de fraude milionário na concessão de incentivos fiscais para combustíveis no Estado que beneficiam grandes empresários, enquanto o governador José Melo (PROS) corta os incentivos para a compra de diesel e pagamento de IPVA dos ônibus de Manaus, o que pode levar ao aumento no preço da tarifa. Em resumo, o prefeito disse que o governador tira benefícios fiscais dos pobres para dar para grandes empresários.

Veja reportagem da Record News Manaus:

De acordo com o prefeito, o governador concede bilhões em incentivos fiscais para vários setores da economia, incluindo os que são dados para combustíveis, que beneficiam o que chamou de esquemas “espúrios” com grandes empresas. Ele citou a Atem e a Dislub/Equador, cujo sócio, o empresário Humberto do Amaral Carrilho chegou a ser procurado pela Polícia Federal (PF), na operação Lava Jato, e depois se entregou.

Prefeito fala sobre a Atem


Em delação premiada, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa afirmou que Carrilho, dono da empresa Equador, o procurou, entre 2008 e 2009, com um projeto de construção de um Terminal de Derivados no Rio Amazonas, em Itacoatiara (AM). Costa disse que  o projeto foi aceito mediante pagamento de propina. 

Prefeito fala sobre Humberto Carrilho e empresa Equador

Arthur disse que o governador permite isenção fiscal de R$ 6,6 bilhões para vários setores da economia e não quer conceder cerca de R$ 40 milhões, ou aproximadamente, 0,6% (menos de 1%) do total dos incentivos fiscais para manter o preço da passagem de ônibus um pouco mais barata para os usuários de Manaus. Segundo Arthur, com a suspensão do subisídio, Melo beneficia milionários e prejudica  o trabalhador desempregado de Manaus.

Arthur citou redução de 25% do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para gasolina, redução  de 18% para gás doméstico, isenção para óleo de embarcações pesqueiras, 25% para óleo diesel na geração de energia no interior do Estado, para indústrias do Polo Industrial de Manaus, para uso das distribuidoras de energia e até para importação de álcool anidro. E fez questão de destacar a redução de ICMS para querosene de aviação para voos que partem de Manaus.

 

VEJA TAMBÉM NO D24am