comments powered by Disqus
Notícias / Política

Tribunal de Justiça do Amazonas define lista tríplice para vaga de desembargador

Hamilton Saraiva dos Santos, Antonina do Couto Valle e Francisco das Chagas foram os nomes mais votados pelos 20 desembargadores do TJAM

terça-feira 7 de março de 2017 - 11:54 AM

Asafe Augusto / portald24am@gmail.com

A lista será encaminhada ainda hoje ao governador do Amazonas, José Melo (PROS), para ele que escolha quem ocupará a vaga. Foto: Sandro Pereira

Manaus – Foi definida, na manhã desta terça-feira (7), a lista tríplice de procuradores do Ministério Público do Amazonas (MPAM) que concorrerão a vaga de desembargador na Corte do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM). Hamilton Saraiva dos Santos, Antonina do Couto Valle e Francisco das Chagas foram os nomes mais votados pelos 20 desembargadores do TJAM. A lista será encaminhada ainda hoje ao governador do Amazonas, José Melo (PROS), para ele que escolha quem ocupará a vaga.

O procurador de justiça Hamilton Saraiva obteve 20 votos; Antonina do Couto Valle ficou com 13 votos e Francisco das Chagas recebeu 12 votos. Os demais concorrentes foram Paulo Stélio, com nove votos, Jussara Maria com seis votos, além de Fábio Monteiro, que não recebeu nenhum voto. Nos bastidores, Monteiro era cotado como o preferido de Melo para o cargo.

O mais votado, o procurador José Hamilton comentou que fez um trabalho para conquistar votos buscando o diálogo com os desembargadores da Corte. “Vou esperar a decisão do governador para falar melhor, mas estou contente. Acredito que fiz meu trabalho”, disse.  

O procurador Francisco das Chagas afirmou que o Tribunal decidiu de forma soberana e independente. Ele ressalta que fez o trabalho para conquistar os votos necessários. “Agora compete ao governador fazer a sua escolha. Não vejo minha quantidade de votos como surpresa. Eu visitei os desembargadores e conversei com todos eles. Estou satisfeito”, comemorou.

A procuradora Antonina do Valle destacou que o bom desempenho nesta votação foi por uma ajuda divina, pois, ela afirma que não tem poder e influência, mas mesmo assim conseguiu uma boa quantidade de votos. “Acredito muito em Deus. Tenho uma história no MP sem retoques e punições. Espero que, nesta semana da mulher, o governador seja tocado para que me escolha. Não tenho apoio político, estou eu e Deus”, destacou.    

José Melo tem o prazo constitucional de 20 dias para fazer a escolha do novo desembargador da Corte.

VEJA TAMBÉM NO D24am