comments powered by Disqus
Notícias / Saúde

No Amazonas, casos de pneumonia internaram 13 crianças por dia em 2016

Dados do Ministério da Saúde mostram que 9.007 pessoas tiveram pneumonia, no Amazonas, em 2016, levando a internação de 4.926 crianças, a maioria com idade de 0 a 4 anos

terça-feira 21 de fevereiro de 2017 - 9:00 AM

Gisele Rodrigues / portal@d24am.com

Quase 5 mil crianças foram internadas por causa de pneumonia, em 2016. Foto: Reinaldo Okita (18/5/2016)

Manaus - O contágio da pneumonia resultou em 4.926 internações de crianças, no Amazonas, em 2016. Segundo dados do Ministério da Saúde (MS), em média foram 13 casos por dia. A faixa etária que é mais suscetível à pneumonia, segundo o MS, é a de crianças de 0 a 4 anos. De cada dez internações, cinco foram registradas em crianças nessa idade, no ano passado.

Médicos alertam que os maiores registros da doença ocorrem durante o ‘inverno amazônico’, quando a aglomeração é maior. Em 2016, segundo o Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (Datasus), do MS, ao todo 9.007 pessoas tiveram pneumonia, no Amazonas. 

De acordo com o MS, a pneumonia é uma infecção que se instala nos pulmões e são provocadas pela penetração de um agente infeccioso como bactérias, vírus, fungos e por reações alérgicas. 

O MS esclarece, ainda, que diferente do vírus da gripe, que é altamente contagioso, a pneumonia não costuma ser transmitida facilmente.

Os sintomas mais comuns, segundo o órgão, envolvem febre alta, tosse, dor no tórax, ainda alterações da pressão arterial, confusão mental, mal-estar generalizado, falta de ar, secreção de muco purulento de cor amarelada ou esverdeada, conhecida popularmente como catarro e fraqueza.

São fatores de risco, segundo o MS, o ar-condicionado que deixa o ar muito seco, facilitando a infecção por vírus e bactérias; resfriados mal cuidados e mudanças bruscas de temperatura, tais como as que ocorrem no clima amazônico.

Para adultos, o fumo é que provoca reação inflamatória que facilita a penetração de agentes infecciosos, já o álcool interfere no sistema imunológico e na capacidade de defesa do aparelho respiratório e também devem ser observados, segundo a recomendação do MS.

No ano passado, em todo o Estado, foram registradas 503 mortes de pessoas vítimas da pneumonia, sendo 68 com crianças de até 4 anos de idade.

Para o diagnóstico, o exame clínico, com a escuta dos pulmões e radiografias de tórax são recursos que de acordo com o MS são essenciais para o diagnóstico das pneumonias.

Já o tratamento das pneumonias requer o uso de antibióticos, apresentando melhoras em três ou quatro dias, segundo informou o MS.

Os casos de internação, como os 9.007 registrados no Estado, se fazem necessários quando o paciente tem febre alta ou apresenta alterações clínicas decorrentes da própria pneumonia, tais como: comprometimento da função dos rins e da pressão arterial, dificuldade respiratória e ainda para idosos.

VEJA TAMBÉM NO D24am