comments powered by Disqus
Plus / Comportamento

Empresas com mulheres no alto escalão inovam mais, diz estudo

Questão pode ser minimizada com a  educação das mulheres e uma licença igualitária a mães e pais

segunda-feira 7 de novembro de 2016 - 7:30 AM

Com informações de agências / portal@d24am.com

Promover a diversidade nas empresas ajuda a diminuir possíveis riscos. Foto: Reprodução

São Paulo - Diversidade de gênero no quadro de diretores é um ingrediente chave para fazer uma empresa prosperar, afirma a diretora global de diversidade e inclusão do Grupo Maersk, Rachel Osikoya. Baseada no resultado, um estudo encomendado pela consultoria McKinsey, que detectou que companhias com pluralidade nos cargos mais altos têm melhores performances no ambiente corporativo, a gestora associa o sucesso de uma companhia a sua habilidade de inovar e desenvolver talentos. Essa capacidade, segundo a pesquisa, é maior quando se tem um grupo heterogêneo, que traz diferentes visões do negócio, questionamentos e soluções.

Apesar de a promoção da diversidade estar sendo amplamente debatida no mercado, a tendência ainda não é percebida na maior parte das empresas. Durante sua estadia no Brasil, na semana passada, Osikoya explicou que uma das formas mais eficientes de mudar o cenário de disparidade entre homens e mulheres é fazer com que ela se torne parte dos princípios da companhia.

No caso da Maersk, além de haver uma ‘cota’ de, pelo menos, uma mulher na lista de candidatos aos cargos mais altos, são feitas ações para incentivar e desenvolver os talentos femininos na empresa, principalmente nos níveis juniores. Osikoya esclarece que essas ações são uma forma de investir na companhia, já que o retorno virá na forma de boas profissionais no quadro da empresa.

Essas formas de incentivo, no entanto, devem acontecer muito antes da entrada no mercado de trabalho. Na visão de Osikoya, é fundamental quebrar paradigmas na infância, para permitir que os jovens cresçam com oportunidades iguais. Ela explica que é importante encorajar meninas e meninos a participar de diferentes assuntos e não só daqueles já admitidos como competência de um só gênero.

VEJA TAMBÉM NO D24am